sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Oscar 2013: Certezas, apostas e torcidas para a premiação!


Tudo bem, que eu não sou muito fã do Oscar, tanto pelos seus gostos duvidosos, em algumas vezes, quanto pela falta de boas indicações para a categoria de Melhor Filme. A premiação, como você já sabe, acontece na cerimônia da Academia, no dia 24 de fevereiro de 2013. O Cinema e Cultura preparou para você uma matéria especial com os filmes cotados para o Oscar 2013. A temporada de premiações em Hollywood já vai começar, então confira nossa lista, que consiste nos filmes, ao qual, achamos que estarão na lista de indicados, que no ano de 2013, passa de 9 para 10 indicados.

 

Melhor Filme - Apostas Certas

O Mestre
Premiado no Festival de Veneza, O Mestre é apontado como um dos fortes candidatos ao Oscar 2013. A Academia, por sinal, já se revelou fã do cinema de Paul Thomas Anderson, que recebeu indicações por Sangue Negro, Magnólia e Boogie Nights - Prazer Sem Limites.

Os Miseráveis
Primeiro longa de Tom Hooper, desde que conquistou a Academia com seu O Discurso do Rei. Adaptação de peça clássica da Broadway, que por sua vez é inspirada em romance homônimo de Victor Hugo. Tudo no filme - da direção de arte ao grande elenco - diz que ele chegará forte na premiação.

A Hora Mais Escura
Vencedor do primeiro prêmio da temporada (Associação de Críticos de Nova York). Dirigido pela premiada Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror), o longa conta com um tema, que deve interessar muito o público norte-americano: a caça e o assassinato do terrorista Osama Bin Laden.

Melhor Filme - Fortes Candidatos

Argo
Muito criticado como ator, Ben Affleck vem se revelando um grande diretor. Após realizar os elogiados Medo da Verdade e Atração Perigosa, ele, agora, realizou seu melhor trabalho. Argo é um dos filmes mais elogiados do ano e muito provavelmente marcará presença na cerimônia mais badalada da sétima arte.

O Lado Bom da Vida
Mais novo filme de David O. Russell, indicado ao Oscar por O Vencedor, O Lado Bom da Vida tem recebido elogios por onde passa, seja pelo ótimo roteiro ou pelo elenco inspirado. Bradley Cooper, Robert De Niro e Jennifer Lawrence estão no longa. 

Lincoln
Steven Spielberg e Daniel Day-Lewis investem na história de um dos mais marcantes presidentes dos Estados Unidos. Só isso já é forte o bastante para colocar o filme em posição privilegiada na corrida pelo Oscar.

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada
Todos os três longas da franquia O Senhor dos Anéis receberam indicações ao Oscar de Melhor Filme. Assim, é natural esperar que o mesmo aconteça com o retorno de Peter Jackson à Terra Média.

Melhor Filme- Menos Prováveis

Indomável Sonhadora
Principal destaque do cinema americano independente em 2012, Indomável Sonhadora foi premiada no Festival de Sundance e recebeu várias indicações ao Independent Spirit Awards. O longa é dirigido por Benh Zeitlin e conta com uma atuação marcante da jovem Quvenzhané Wallis.

O Voo
Volta de Robert Zemeckis aos filmes com atores reais, após passar anos se dedicando a animações como O Expresso Polar e Os Fantasmas de Scrooge. Conta com elogiadas atuações de Denzel Washington, John Goodman, Don Cheadle e Kelly Reilly.

As Aventuras de Pi
Baseado em livro de sucesso de Yann Martel, As Aventuras de Pi é um dos filmes mais fantasiosos dos últimos anos. Conta com efeitos visuais impressionantes e cenários extraordinários. Suraj SharmaIrrfan Khan brilham na pele do protagonista Pi Patel.

Anna Karenina
Joe Wright e Keira Knightley retomam a parceria e realizam um novo drama de época. Anna Karenina promete agradar aos fãs de Orgulho e Preconceito e Desejo e Reparação.

Django Livre
Quentin Tarantino pode voltar a chamar a atenção da Academia três anos após Bastardos Inglórios, indicado a Melhor Filme. Em sua estréia em faroestes, o cineasta contou com um grande elenco: Jamie Foxx, Christoph Waltz, Samuel L. Jackson, Leonardo DiCaprio e muitos outros.

Moonrise Kingdom
Um dos filmes mais delicados do ano. É impossível assistir e não sair sorrindo. Conta com boas atuações de Bruce Willis, Edward Norton, Bill Murray e companhia. E a direção e roteiro de Wes Anderson são característicos.

Melhor Filme - TORCIDA

Argo
Suspense dramático, baseado em fatos reais, que acompanha uma operação secreta de vida ou morte para resgatar seis americanos, ocorrida nos bastidores da crise no Irã. O vencedor do Oscar Ben Affleck dirige e estrela o filme. A história de Argo se passa em novembro de 1979, quando a revolução iraniana atinge seu ápice e militantes surpreendem a embaixada dos EUA em Teerã, fazendo 52 reféns americanos. Mas, no meio do caos, seis americanos conseguem escapar e encontrar refúgio na casa do embaixador canadense. Sabendo que é apenas uma questão de tempo até os seis serem encontrados e provavelmente mortos, Tony Mendez (Ben Affleck), um especialista em fugas da CIA, sugere um plano arriscado para retirá-los do país em segurança. Um plano tão incrível que só poderia acontecer nos filmes.

 
(Trailer do filme, "Argo").

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

# Top 10 - Melhores filmes de 2012 - Por: Nicolly

Foi difícil escolher os "melhores filmes de 2012", mas segui os critérios de falar sobre os favoritos, os que tenho algumas críticas e os bombásticos. Então, vamos lá!

#Batman - Cavaleiros das Trevas Ressurge
Não imagino nenhum diretor fazendo essa trilogia. Christopher Nolan conduziu brilhantemente e desde Cavaleiros das Trevas (2008) atraiu minha atenção para toda a sua filmografia. A história, a evolução dos personagens e o realismo torna-se um dos diferenciais dos filmes de Nolan para os outros filmes do Batman; nós vemos vilões mais realistas com bases ideológicas e políticas que movem suas ações. A todo tempo vemos Bruce Wayne com um conflito interno sobre como agir sendo o Batman.
Neste último filme, o surgimento do vilão Bane prova aos incrédulos que o diretor ia ousar mesmo depois da morte de Heath Ledger. E além disso, traz dois atores que merecem ressalvas: Anne Hathaway, como Selina Kyle, a vulga Mulher Gato, e Joseph Levitt-Gordon, o policial boa praça. John Blake que tem um papel excelente e só deixa com gostinho de quero mais...
Só posso dizer que esse elenco vai deixar saudade e minha nota é 10!


# 007 - Operação Skyfall
Ok, esse filme merece um carinho todo especial afinal James Bond comemora 50 anos na telona!
Na minha opinião, cada filme que passa, Daniel Craig veste mais o personagem e coloca sua marca nesse sensual e sarcástico Bond, James Bond. Em comemoração de 50 anos, Sam Mendes nos leva às origens de Bond, mostrando a sua casa e revelando um pouquinho sobre seus pais; o zelador Kincade (Albert Finnay)que é essencial nesse processo.
Contudo, todas as atenções do filme são atraídas para a atuação de Javier Bardem, o vilão Raoul Silva, cuja a atitude me remeteu muito ao Coringa, de Batman Cavaleiro das Trevas, usando todo seu terror diabólico. Com esse filme, podemos esquecer do fracasso de Quantum Of Solace e esperar pelo resgate de vilões como Dr. No e Goldfinger.



# Os Penetras
Pois bem, tem que ter um filminho brasileiro na minha lista e Os Penetras logo veio a minha mente. Com a maior estreia de bilheteria nos últimos tempos, o filme com a dupla Adnet e Sterblich chamou minha atenção e corri para o cinema; e não me decepcionei! O filme rende ótimas risadas e é ótimo pra ver com o namorado, amigos, pais, enfim... É leve, direto e rápido.


# Sombras da Noite
Este filme de Tim Burton é baseado numa série de TV dos anos 60 e não trouxe muitas inovações no campo estético do diretor. Tem Johnny Depp, Helena Boham Carter, Danny Elfman na trilha sonora e uma vibe roxa, vermelha, preta e branca no cenário. A verdade é que Tim Burton não inova muito faz algum tempo e seus filmes de tornam massantes e previsíveis.
As duas coisas que eu mais gostei, na verdade, as duas atuações foram Eva Green e Chloe Moretz que fizeram total diferença no filme e por isso que o coloquei aqui na lista. Minha nota pra ele é 7, mas não deixa de ser um filminho divertido.


# Valente
A união entre Disney e Pixar sempre tem muito a oferecer e em Valente as paisagens da Escócia e seu encanto são explorados de forma sem igual. Merida, nossa protagonista, assinala uma nova época nos filmes da Disney: as princesas donas de sua própria história. Ela é jovem, aventureira e rebelde (basta olhar para seus cabelos ruivos!) e a identificação com ela rola logo de cara.
Foi um dos filmes que mais gostei esse ano e se for indicado como Melhor Animação ao Oscar tem a minha torcida.

# O Ditador
 O trabalho de Sacha Baron Cohen é repleto de críticas e em O Ditador não é diferente. Usando o fenômeno da Primavera Árabe e o conceito de Democracia, Sacha traz um trabalho diferente de Borat e Brüno embora sua acidez continue a mesma. Um dos mais hilários que vi este ano, a inspiração do filme veio a partir do livro de Saddam Hussem, já dá para perceber o que vem por aí, né?


# Rock Of Ages
Sabe quando um filme recebe uma publicidade ENORME e quando você corre pro cinema não é nada disso? Pois é, Rock of Ages é baseado numa peça da Broadway que traz Tom Cruise como um grande rock star. Na verdade, ele é a maior atração do filme e ganhou espaço nessa lista por sua ótima performace cantando "Dead or Alive" do Bon Jovi.
A transformação de Axl Rose de 2012 foi perfeita, não é a toa já que Cruise teve o mesmo vocal coach que Axl. Só se esperava bem mais para um filme que tem Catherine Zetta Jones, Paul Giamatti, Alec Baldwin e Russel Brand.


# Os Vingadores
Sou viciada em qualquer novidade sobre filmes de super heróis e depois do desastre de Thor e Capitão América sabia que viria algo mais elaborado pela frente. Com a 3ª maior bilheteria de TODOS OS TEMPOS, Os Vingadores merece estar nessa lista dos Melhores de 2012.
A performace que mais me chamou a atenção, ao lado de Robert Downey Jr (claro!), foi Mark Rufalo como Hulk, que eu espero um filme só dele.


# Prometheus
Não poderia faltar um cantinho para a Ficção Científica na minha lista. O filme de Ridley Scott segue uma busca pelos Engenheiros, onde a inspiração veio do "Eram Deuses Astronautas?" (declaração dada pelo próprio diretor). A tentativa de explicar a origem de Alien traz muita ansiedade por parte dos fãs e o trouxe como o melhor de 2012 no quesito ficção científica.




Agora a lista dos Melhores de 2012 do Cinema & Cultura está pronta! Sentiu falta de algum filme? Comente! 



quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

#Top 10 - Melhores filmes de 2012 - Por Leonam

Fazer listas, de fato, não é minha especialidade. Isso de deve muito, pelo fato, de não querer deixar nenhum filme que gostei de fora. Nós administradores do blog, eu, Leonam e Nicolly decidimos fazer um top #10 com os filmes que gostamos de assistir em 2012. A idéia é fazermos duas listas, uma minha e outra dela, com duas visões e gostos  diferentes.

Eu preciso esclarecer, que quando digo "filmes de 2012", me refiro ao filmes que estreiaram no Brasil nesse ano. Vocês vão encontrar alguns filmes na minha lista, ao qual estreiaram em 2011, no exterior. Mas, esse foi meu critério de escolha, já que os filmes chegam aqui depois. Todos os filmes que estão nessa lista são queridíssimos. Não estão em ordem de gosto, e sim na ordem em que foram assistidos. Aproveitem, indiquem e comentem os seus preferidos.



 *O Artista
A história se passa em Hollywood entre os anos 1927 e 1932, e se foca em George Valentin que é uma das maiores estrelas do cinema mudo, participando de dezenas de aventuras ao lado de seu cão da raça Jack Russel Terrier. Inveja de muitos homens, ele lentamente começa a se defrontar com o ostracismo após a invenção e chegada do cinema falado, que tem um desastroso efeito na vida do astro. Enquanto sua amiga Peppy Miller ganha notoriedade com essas mudanças, Valentin é cada vez mais relegado ao esquecimento.


 
*A Invenção de Hugo Cabret
Hugo é um garoto de 12 anos que vive em uma estação de trem em Paris no começo do século 20. Seu pai, um relojoeiro que trabalhava em um museu, morre momentos depois de mostrar a Hugo a sua última descoberta: um androide, sentado numa escrivaninha, com uma caneta na mão, aguardando para escrever uma importante mensagem. O problema é que o menino não consegue ligar o robô, nem resolver o mistério.

 
 
*A Separação 
Conta a história da separação de Nader (Peyman Moaadi) e Simin (Leila Hatami), um casal diferente dos que estamos acostumados a imaginar no Irã: Nader um marido compreensivo e não machista, aceita em ceder o divórcio a Simin, que quer deixar o país junto a ele e sua filha porque não quer que a garota cresça no Irã. Porém, seu pai é um idoso que sofre de Alzheimer em estágio avançado, que necessita de seus e por este motivo ele não aceita deixar o país e abandoná-lo. Nader é obrigado a contratar uma diarista - sem o aval de seu marido, e grávida - para tomar conta de seu pai enquanto trabalha. Diante disso uma série de acontecimentos seguidos de problemas caem sob a família. Um dos filmes mais fortes e bem realizados dos últimos anos, A Separação é uma obra obrigatória para qualquer cinéfilo.



*Precisamos Falar Sobre o Kevin
 
 Eva mora sozinha e teve sua casa e carro pintados de vermelho. Maltratada nas ruas, ela tenta recomeçar a vida com um novo emprego e vive temorosa, evitando as pessoas. O motivo desta situação vem de seu passado, da época em que era casada com Franklin, com quem teve dois filhos: Kevin e Lucy. Seu relacionamento com o primogênito, Kevin, sempre foi complicado, desde quando ele era bebê. Com o tempo a situação foi se agravando mas, mesmo conhecendo o filho muito bem, Eva jamais imaginaria do que ele seria capaz de fazer.
Eva lida com seus próprios sentimentos de tristeza e responsabilidade. Será que ela já amou o filho? E o quanto do que Kevin fez é culpa de sua mãe?



*História Cruzadas
Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark, a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.



 *360
É uma reunião de histórias dinâmicas e modernas, passadas em diversas partes do mundo. Laura é uma mulher que deixou a vida na terra natal para tentar a sorte em Londres ao lado do namorado Rui. Ao descobrir que o parceiro está tendo um caso com Rose, ela decide voltar para o Brasil. Na volta pra casa, ela conhece um simpático senhor e Tyler, duas pessoas em momentos difíceis em suas vidas. Num outro lado da história, Mirka é uma jovem tcheca que começa a trabalhar como prostituta para juntar dinheiro. Ao mesmo tempo, lida com a desaprovação da irmã Anna. O primeiro cliente de Mirka é Michael, que por sua vez é casado com Rose.


*O Palhaço
 Benjamim trabalha no Circo Esperança junto com seu pai Valdemar. Juntos, eles formam a dupla de palhaços Pangaré & Puro Sangue e fazem a alegria da plateia. Mas a vida anda sem graça para Benjamin, que passa por uma crise existencial e assim, volta e meia, pensa em abandonar Lola, a mulher que cospe fogo, os irmãos Lorotta, Dona Zaira e o resto dos amigos da trupe. Seu pai e amigos lamentam o que está acontecendo com o companheiro, mas entendem que ele precisa encontrar seu caminho por conta própria.

*Moonrise Kingdom
O filme decorre numa ilha ao largo da costa de Nova Inglaterra, no verão de 1965. “Moonrise Kingdom”, conta a história de dois jovens de 12 ano que se apaixonam, fazem um pacto secreto e fogem juntos para uma ilha. Enquanto as variadas autoridades locais os tentam encontrar, uma violenta tempestade surge e a pacífica comunidade da ilha fica, a todos os níveis, virada do avesso. Uma comédia romântica realizada por Wes Anderson, “Moonrise Kingdom” é um dos melhores filmes deste ano.

 
*Gonzaga - de Pai pra Filho 
 O longa retrata a relação entre o sanfoneiro de enorme apelo popular Luiz Gonzaga (1912-1989) e seu filho, o cantor e compositor Gonzaguinha (1945-1991), que nunca foi valorizado como artista pelo pai. Um pai e um filho. Dois artistas e dois sucessos. Um do sertão nordestino, o outro carioca do Morro de São Carlos. Um de direita, o outro de esquerda. Apesar de tantas diferenças, um ponto em comum: a música que emociona o Brasil até hoje.

  
*Argo
A história do filme é baseada na revolução iraniana de 1979, quando esta atinge o seu auge e alguns militares invadem a Embaixada dos Estados Unidos da América no Teerão e fazem reféns americanos. No meio da grande confusão instalada, seis americanos conseguem escapar e encontram refúgio na casa do Embaixador Canadiano. Com o intuito de salvar estes refugiados, o especialista da CIA Tony Mendez, elabora com um plano arriscado para fazê-los sair do país em segurança. Um plano incrível, digno de um filme!



Eu sei que vocês podem estar sentindo falta de alguns filme, que fizeram muito sucesso e tiveram muitos elogios. Eu tenho umas ressalva para fazer, pois essa lista foi muito sofrida para ser concluída. Tive que deixar bons filmes de fora como:Tomboy, Os Descendentes, 007: Operação Skyfall, Para Roma com Amor, Batman:  O Cavaleiro das Trevas Ressurge, Shame, Millenium - Os Homens Que Não Amavam e Os vingadores. Sei que todos entendem, quando se trata de uma lista e não de uma enciclopédia, mas tinha que ser feita.

domingo, 25 de novembro de 2012

Jorge Amado está em todos os lugares!

Sem dúvidas, Jorge Amado foi um baiano arretado. Ele fez obras que caracterizam a Bahia de uma tal forma que minha imaginação não teria a mesma força no caso dos meninos de Salvador, em Capitães de Areia e os tempos de ouro do cacau dos coronéis, em Gabriela, cravo e canela. Suas histórias são ricas que já viraram alvo de peças, novelas, minisséries e... o que nos interessa aqui, filmes.

No último post (relembre aqui!), falei como Ana Karina foi o rosto chave da Nouvelle Vague e aqui em terras da Tropicália, Sônia Braga recebe o título de "musa", tendo feito três personagens essenciais, Tieta, Gabriela e Dona Flor. Nem mesmo, Juliana Paes com todas suas curvas e seu carisma conseguiu superar o brilho de Sônia, em Gabriela, exibida pela Rede Globo, neste ano.

Já vi:

"Tieta do Agreste" (1996): Esse filme de 140 minutos conta a história de Tieta, uma mulher que volta a sua cidade, Santana do Agreste, depois de ter sido expulsa pelo pai, trazendo uma série de mudanças pra pacata cidade do interior. O destaque na minha opinião é a trilha sonora feita por ninguém menos que Caetano Veloso, onde "Luz de Tieta" tem o maior reconhecimento entre os fãs. O filme tem maior identificação com o livro do que a novela produzida pela Rede Globo, em 1989/1990; o próprio autor aparece nas primeiras cenas lendo os trechos do livro.
Achei o filme completo no youtube, veja abaixo:

 
 
"Capitães da Areia" (2011): Pra mim, esse filme tem de todo especial; Cecília Amado (filha de Jorge Amado) dirigiu o filme como homenagem ao centenário de nascimento de seu pai. De cara, rolou uma identificação como todos na história; por mais que eu tenha visto diversas críticas quanto a caracterização dos personagens, as crianças foram escolhas ótimas, principalmente Pedro Bala e Dora. A fotografia é linda e pegaram ângulos lindos da capital. A história gira em torno de um grupo de meninos que roubam por toda Salvador, envolvendo-se em grandes aventuras e o final é de emocionar! Juro que me apaixonei pelo ator que faz Pedro Bala.
 
 
Quero muuuuito ver:
 
"Gabriela, Cravo e Canela" (1983): Mais uma vez, Sônia Braga nos presenteia com seu charme em Gabriela. A história nos leva aos tempos dos coronéis e dos preconceitos de uma sociedade conservadora; onde a tentativa de trazer a modernidade é sempre questionada. A música estava sobre o encargado de Tom Jobim e Gal Costa, onde a música mais conhecida foi "Tema de Amor de Gabriela".

 
 
 
"Dona Flor e seus dois maridos" (1976): A curiosidade mais impressionante desse filme é que seu recorde de público só foi superado em 2010 por Tropa de Elite. Ao total, foram 10 milhões de pessoas verem a trama entre o amor de Dona Flor por dois homens completamente distintos. A trilha sonora foi responsável pelo talento incrível de Chico Buarque. Em 1982, Dona Flor foi adaptada pelo filme norte-americano, Kiss me Goodbye. A notícia boa é que, em 2014, Dona Flor será novamente lançado no Brasil trazendo novamente esse clássico da literatura brasileira às telonas!
 
 
 
Os romances de Jorge Amado são bem atuais e valem a pena de lê-los. :-)


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Personalidade do mês: Anna Karina


Sempre amei a França. Amo Jean-Luc Godard. E meu amor por Anna Karina veio de surpresa. Sua personalidade e beleza são marcantes, sem contar seu talento. Juntamente com Jean-Paul Belmodo posso dizer, com certeza, que Anna Karina é o rosto (feminino) chave da Nouvelle Vague (movimento que já abordei aqui!).
Tive o primeiro contato com sua atuação em Vivre Sa Vie e me encantei. Com uma beleza que só a Dinamarca poderia nos dar, Anna fisgou corações de franceses e do mundo todo na década de 60, além do próprio Godard com quem foi casada durante 6 anos. Atuou em 79 aparições, incluindo filmes e telenovelas.



Um filme que merece destaque na sua carreira (e também na de Godard) é Alphaville, une étrange aventure de Lemmy Caution que apesar de ser um (pouquinho) massante não deixa de ser uma revolução do gênero ficção científica dentro do movimento francês dos anos 60. Vale muito a pena procurar as atuações de Anna Karina ao longo de sua vida e principalmente durante desse movimento que até hoje influencia jovens cineastas e atores.

Já vi:
"Viver a Vida" (1962) - Para financiar sua carreira de atriz, Nana trabalha numa loja de discos e logo vê que não tem dinheiro o suficiente para arcar com os custos. Após um encontro com sua colega Yvette, que se revela prostituta, Nana está disposta a entrar no mundo da prostituição.




"O Demônio das Onze Horas" (1965) - Cansado de sua vida burguesa e monótona, Ferdinand (Jean-Paul Belmodo) foge com Marianne - antiga babá de seus filhos - em direção ao sul, onde entram em confusões de tráfico de armas e conspirações políticas. Este filme é cheio de reflexões e um dos mais importantes da Nouvelle Vague.

"Uma mulher é uma mulher" (1961) - Angela, um stripper, decide ter um bebê mas seu namorado Emile (Jean-Claude Brialy) não gosta nada da ideia. Mas decidida ir a diante, Angela procura um amigo, Alfred (Jean-Paul Belmodo) para realizar seu desejo.


"Alphaville" (1965) - Considerado um ótimo filme de ficção científica dentro da Nouvella Vague, Alphaville conta a história de uma cidade futurista onde os sentimentos foram abolidos e tudo é controlado pelo computador Alpha 60.









Sem dúvidas, Godard sabia escolher bem suas esposas que viraram suas musas, ou ao contrário. Mas que tinha um bom gosto, não dá pra discutir. :-)

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Na estante dos cinéfilos

Nós aqui do Cinema & Cultura, levamos a arte do Cinema muito além de só ver filmes, também lemos sobre como, quando, onde e porquê a linguagem do cinema foi formada. Com isso, eu (Nicolly Barbosa) e meu amigo Leonam Monteiro decidimos fazer um post mensal falando sobre os livros que andam despertando nossa atenção. O filtro para falar sobre os livros é o seguinte:
(a) algum que se tornou filme;
(b) que fale sobre algum diretor ou escola cinematográfica;
(c) livro sobre crítica e/ou curiosidades sobre o cinema/filme.
Outra coisa que pensamos para o post ser bem dinâmico é a união dos meus livros junto com os do Leonam, acho que vai ser bem divertido. Então, vamos lá, ladies first!

# Trajetória Crítica - Jean Claude Bernardet 

Falei desse livro brevemente na construção do meu post sobre Cinema Brasileiro (você que perdeu ou esqueceu, relembre aqui!) e coloquei também que não havia terminado para dar um veredicto final. Pois bem, Bernardet reuniu artigos que ao longo da vida escreveu para diversos jornais no Brasil e com eles mostra a "evolução", se é que podemos chamar assim, dos filmes e da crítica brasileira. Naturalizado brasileiro, mas de raiz francesa, Bernardet não esconde sua preocupação com o espaço dos filmes brasileiros (principalmente no Cinema Novo) dentro de um mercado que só tem uma produção industrial e estrangeira. Gostei muito por ter artigos de época, num recorte entre as décadas de 50-70, e por apontar as principais obras primas - que eu até então desconhecia totalmente. Outro fator legal é que Bernardet não alterou seus artigos e mesmo depois de décadas e opiniões amadurecidas, ele apenas adiciona um texto colocando seu novo ponto de vista. Sem dúvidas, uma decisão sensata a um escritor.

Editora: Martins Fontes
Preço: R$ 42,00











# Linguagem Secreta do Cinema - Jean Claude Carrière 

Tive contato com esse livro através do meu professor da faculdade que igualmente ama cinema; e confesso que aprendi muito com essa obra. Jean Claude Carrière só tem a acrescentar à vida dos cinéfilos de plantão,  pois escreveu diversos roteiros, entre eles Bela da Tarde (1967), e teve participação constante nas obras de Luis Buñuel - que é bastante citado ao decorrer do livro. Só entendi a maneira com que Carrière descreve a linguagem do cinema quando tive acesso aos filmes que trabalhou. O livro foi escrito com bastante leveza, demasiados exemplos e sem notas de referência. Mas também, com a bagagem e reverência que o autor têm fica difícil questioná-lo. Além disso, o ponto que mais gostei foi o tempo todo comparar a linguagem do cinema a televisão, já que esta última é um meio que despopularizou bastante o cinema na década de 70.

Editora: Nova Fronteira
Não foi essa edição que tive acesso e também peguei na biblioteca, mas o preço está em R$ 30,00










# A Ponte Clandestina: Teorias de Cinema na América Latina - José Carlos Avellar

"O cinema latino-americano contemporâneo nasceu como vontade transformadora da sociedade. Nasceu entre a política e a poesia, em parte por imposição da realidade, em parte por livre escolha." São com essas palavras, que o autor define o começo do Cinema-Latino. Sem dúvida, foi um dos melhores livros sobre cinema que eu já li. Convencidos de que o cinema latino é totalmente diferente do cinema americano (comercial) e o cinema europeu (clássico), diretores de peso como: Glauber Rocha, Fernando Solanas, Julio Garcia Espinos entre outro, decidem mudar os rumos do "nosso" cinema, dando a ele a nossa cara como o subdesenvolvimento, a pobreza, a fome tornando-o um cinema político, engajado, não só nas causas políticas, mas também nas sociais. Nossos diretores beberam também no Neorrealismo Italiano, movimento ocorrido paralelamente, as transformações no Cinema-Latino, nos anos 50-60.


Editora: 34
Preço: R$40,00











# Cinema e História - Marc Ferro

Ferro faz uma leitura cinematográfica da História e uma leitura histórica do cinema, demonstrando as relações, nem sempre pacíficas, entre o cinema e a História. Analisa o cinema como agente da História - os documentários, assim como as obras ficcionais, são nessa interpretação construções do discurso; manipulando-se a informação obtém-se um precioso instrumento de propaganda. O livro oferece uma contribuição teórico-metodológica na utilização do cinema como fonte para a pesquisa histórica.  Por meio de filmes como O encouraçado Potemkin, O judeu Süss, A grande ilusão, M., o vampiro de Dusseldorf, O terceiro homem, entre outros, o autor analisa os processos de produção dos filmes e as influências políticas e sociais que eles acarretaram. 

 Editora: Paz e Terra
 Preço: R$ 35,00

sábado, 17 de novembro de 2012

Personagem eternizado: Holly Golightly

Hoje decidi falar sobre um "personagem eternizado" da Audrey Hepburn, Holly de "Bonequinha de Luxo", um filme clássico e obrigatório na estante ou na pasta de download de qualquer ser humano. Tenho a certeza que meu amado Thruman Capote foi bem feliz em escrever esse livro que, em 1961, virou adaptação para cinema com a direção de Blake Edwards.
Uma curiosidade que talvez poucos saibam é que no começo a atriz escalada para interpretar a Holly era Marilyn Monroe, contudo por motivos de imagem, no caso a má imagem de Marilyn, deixou o papel para Audrey Hepburn. O filme foi indicado para 5 Oscars, levando somente 2 (Melhor Canção Original e Melhor Trilha Sonora). 


Toda menina tem dentro de si uma Holly, por isso que decidi falar sobre ela, sempre sonhadora, olhando perdidamente pelas vitrines, um conflito entre a menina do interior e a mulher de New York... A beleza de Audrey traz uma aproximação para a beleza de todas nós, seu rosto não era o padrão da Hollywood dos anos 50, para isso eles tinham mulheres como Marilyn Monroe e Doris Gray.
O livro que me inspirou a esse post conta a história da produção do filme. Desde a escolha da protagonista até a relação do cinema comercial. Ainda estou nas primeiras páginas, mas é uma leitura leve e pra quem é fã mesmo do filme vai se apaixonar mais ainda com as curiosidades abordadas.


- Quinta Avenida, 5 da Manhã - Bonequinha de Luxo e o Surgimento da Mulher Moderna, Sam Wassom - Editora Jorge Zahar. 

 Faixa de preço: 39,00












Ps: Esse post é dedicado especialmente a Luiza Franco, que assim como eu, ama Audrey Hepburn! :-)

sábado, 3 de novembro de 2012

Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça. Ou quase isso...

Não, não é sobre Cinema Novo que eu vou falar hoje (o que já abordamos, relembre aqui!) mas sobre um tipo de produção cinematográfica que me remete a essa frase. Estou falando sobre documentários que podem chocar, emocionar, revoltar... enfim, trazer sentimentos mais aflorados a nós pois trabalham com a realidade, partindo sempre de um ponto de vista. Fiz essa lista não pensando nos melhores documentários que vi. Confesso que vi poucos esse ano, então vou falar sobre os últimos que vi.

# Personal Che (2007)
Qualquer figura pública quando morre torna-se um mártir e são apropriadas pela cultura pop. Marilyn Monroe, Michael Jackson, Elizabeth Taylor essas foram algumas celebridades que faturam milhões mesmo mortas, mas no caso de Che Guevara, o militante argentino, foi diferente. Ele não era uma figura que vendia sua imagem, mas sim suas ideias e lutava para concretizar seus objetivos. Um dos pais da Revolução Cubana é mostrado com várias facetas pelo documentário Personal Che, podendo ser um ícone da cultura pop, santo, revolucionário e até nazista. Qual é o seu?
Achei o link disponibilizado pelo Vimeo, clique AQUI.


# Raul: Início, Fim e o Meio (2012)
Sob a direção de Walter Carvalho, que também produziu o filme sobre Cazuza; O tempo não pára (2004),  este documentário traz uma visão íntima da vida de Raul Seixas, um dos maiores nomes do rock nacional, abordando sua infância, sua paixão por Elvis Presley, suas mulheres, a parceria com Paulo Coelho, seu envolvimento com a "Sociedade Alternativa" e as mulheres de sua vida.
Traz também, depoimento de artistas falando sobre suas músicas e das pessoas que estiveram nas diversas fases da vida de Raul e até as pessoas que foram influenciadas por ele. Mas, sem dúvidas o assunto que mais chama atenção é o envolvimento com as drogas. Paulo Coelho afirma que apresentou todas as drogas para o músico, das leves até as mais pesadas. O que eu gostei mais é o modo realista e cru que o documentário foi feito, mostrando todos os âmbitos da vida desse maluco beleza. Eu como sou fã de carteirinha, amei!



# Capitalismo - Uma História de Amor (2007)
Sem exageros, TODOS os documentários de Michael Moore são recomendáveis. Admiro o trabalho dele desde o primeiro contato com Fahrenheit 11/9 onde mostra o envolvimento do então atual presidente George W. Bush com os atentados terroristas do 11 de setembro. Neste, Moore traz uma reflexão de como o capitalismo age na maior potência do mundo, onde "o mesmo capitalismo que tira é aquele que dá". Em uma retrospectiva ácida dos anos 80 até o governo Bush, vemos o progresso político-econômico dos Estados Unidos e como essa tal crise que estampa pelo menos 5 minutos dos nossos jornais não é culpa de más escolhas de Barack Obama e em época de eleição esse documentário vem bem a calhar...


# Marighella - Retrato falado do Guerrilheiro (2001)
Esse documentário de 56 minutos tem como foco mostrar a vida militante de Carlos Marighella de uma forma bem humanizada, contada por seus amigos íntimos e amigos do Partido Comunista. Sofreu repressões nas duas Ditaduras que marcaram nosso país (Estado Novo e período do Ato Institucional nº5) e sob torturas não deixou suas convicções. Foi responsável também pela luta armada contra o Regime Militar de 64 e pelo Manifesto do Guerrilheiro Urbano. Atuou até a sua morte em 1969, assassinado pela polícia. "Quem sou eu? Um mulato baiano."


E quais foram os documentários que vocês mais gostaram? Opinem e comentem. Até a próxima. :-)

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Maníacos por livros!

No dia 29 de outubro é comemorado o Dia Nacional do Livro, devido a transferência da Biblioteca Real Portuguesa para o Brasil, em 1810. Um dia muito importante para mim, pois sou apaixonada por livros e devoro um atrás do outro (quando a faculdade permite, claro) e por isso, nada mais justo que fazer um post usando cinema e literatura, duas paixões. Pensei em primeiramente falar sobre filmes que são baseados em livros, mas achei um tema bem... digamos, passado. Então, tive a ideia de falar sobre personagens que tem essa paixão em comum.

- Suzy, Moonrise Kingdom (2012)
Suzy é uma menina de 12 anos com uma personalidade marcante e agressiva que adora livros sobre mitologia e histórias de outro planeta, cujas personagens são heroínas que vivem aventuras e salvam o dia. Lê constantemente para seu namoradinho, Sam de também 12 anos, mostrando sua paixão por magia e como a leitura pode trazer a fuga de uma realidade tão chata e problemática. O binóculo que usa durante todo o filme é o seu poder mágico, o que a aproxima de suas heroínas, capaz de ver além do limitado pelo olho humano.


- Mort Rainey, Janela Secreta (2004)
Stephen King sabe trabalhar com o suspense como ninguém e este filme adaptado de seu romance é muito bem feito. Em "Janela Secreta", o escritor Mort Rainey (Johnny Depp) é acusado de plágio por um estranho homem sulista (John Turruno) e sua vida torna-se o inferno da Terra. Escolhi esse personagem por também ter uma constante relação com a literatura, embora no filme esteja em completa crise com seu novo livro. Além do mais, o filme traz um final surpreendente e caso você ainda não tenha visto, veja agora!


- Christian, Moulin Rouge, Amor em Vermelho (2001)
Considero um dos melhores musicais de todos os tempos e a época de ouro da carreira de Nicole Kidman, porém não é sobre ela que iremos falar hoje. Ewan McGregor interpreta Christian, um escritor que após enfrentar seu pai para trabalhar com poesia muda-se para o maior bairro boêmio de Paris e começa a frequentar o Moulin Rouge. Logo de cara, apaixona-se por Satine e assim começa uma das maiores histórias de amor assunto da obra perfeita de Christian.


- Hermione Granger, Harry Potter, (2001-2011)
Ela é a bruxinha mais inteligente e fofa de todos os tempos. Até mesmo lutando contra o Lord das Trevas, Hermione se preocupava com os estudos e foi uma peça chave na saga ao mostrar domínio sobre os feitiços durante os apertos que o trio (ela, Rony e Harry) sofria. É um fato que Emma Watson conquistou todos com a sua interpretação, principalmente os meninos...


- Gil, Meia Noite em Paris (2011)
Na pele de Owen Wilson, Gil é um escritor inseguro sobre os rumos do seu romance e após uma caminhada nas ruas de Paris, tem seu destino mudado para sempre. Apaixonado pela capital na década de 20, o protagonista viaja, inexplicavelmente, para essa época, conhecendo os principais nomes que influenciaram na literatura, crítica e artes plásticas. Esse filme de Woody Allen ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original e não deixa de ser uma ótima pedida seja com o namorado (a), família e amigos.


Comentem sobre os personagens ou filmes adaptados que vocês mais gostaram! :-) Até a próxima.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Top 5 de Outubro

Quando acordei, percebi que já estávamos no dia 25 de outubro. Mais um mês passou rapidamente e entre tantas retrospectivas que poderia fazer, contabilizei os melhores filmes que vi e acho que daria um belo post, pois, esses filmes que citarei abaixo, de alguma forma, me mudaram. Bem, sem mais delongas, senhoras e senhores, OS MELHORES FILMES DE OUTUBRO! :-)

#5 Priscilla - A Rainha do Deserto
Ok, não me sentia uma cinéfila completa se não assistisse "Priscilla". Por isso, mais que rapidamente corri pra minha locadora linda e aluguei. Esteticamente, o filme é perfeito, lindos figurinos (não é a toa que ganhou o Oscar de 95), maquiagens lindas, atores fenomenais. A história desenvolve-se em torno de três transformistas Bernadette/Ralph (Terence Stramp), Antony/Mitzi (Hugo Weaving) e Felicia/Adam (Guy Pearce) que sob a proposta de apresentações em uma cidade da Austrália viajam em um ônibus (Priscilla), embarcando em aventuras hilárias. Os pontos positivos do filme é a abordagem do preconceito com Drag Queens ou até mesmo com pessoas diferentes, o esteriótipo da AIDS nessas pessoas e o modo que sua expressão artística é vista foi o que achei mais legal. Nota IMDB: 7.3



#4 A Vida de Outra Mulher
Esse filme é um dos mais engraçados que vi esse mês. A sinopse é o seguinte Marie (Juliette Binoche) é uma mulher de 25 anos que adormece por 15 anos e vê sua vida totalmente mudada. Tem um cargo numa das maiores empresas da Europa, casou-se com o homem que estava paquerando no último dia antes dessa mudança toda e um filho. Pois é, além disso, encara a nova realidade de forma catatônica e engraçada. Surpreende-se quando sabe que o euro é a nova moeda de circulação e pelo seu casamento estar indo por água abaixo. Logo, Marie tem 4 dias antes do divórcio ser assinado para conquistar o homem que tanto gosta... "A vida de outra mulher" é uma comédia francesa doce e bem humorada, pelo que todos acham não é cansativa e tem a presença de Juliette Binoche que deixa tudo mais grandioso. Nota IMDB: 5.7

#3 Ruby Sparks: A namorada perfeita
Você é um escritor de romances renomado, considerado gênio pela mídia e por todos que o conhece mas tem uma vida pessoal solitária. Essa é a vida de Calvin (Paul Dano) até encontrar Ruby Sparks (Zoe Kazan), ou melhor, até criá-la a partir de um sonho que teve. Entretanto, Calvin pode mudar Ruby a qualquer momento, basta sentar em sua escrivaninha e usar a máquina de escrever. A trama é super bem bolada e  não é cansativa. Dos mesmos diretores de "Pequena Miss Sunshine" (2006), "Ruby Sparks" promete consagrar a carreira de Jonathan Dayton, Valere Faris e Paul Dano. Nota IMDB: 7.3


#2 Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos
Zeca (Caio Blat) é um homem de 30 anos que não consegue terminar seu romance, juntamente com esse ócio, ele desconfia que sua mulher Julia (Maria Ribeiro) tem um caso. Com outra mulher. No meio da trama, Zeca começa se apaixonar por Carol - a suposta amante- iniciando um triângulo amoroso doido. O que eu achei mais legal do filme é a narração dos sentimentos do Zeca, estes que não passam de coisas comuns que a maioria das pessoas sentem. "O que porra eu faço da minha vida?" Nota IMDB: 6.6



#1 Precisa-se de um amigo para o fim do mundo
MEDALHA DE OURO! Confesso que esse filme mexeu muito comigo, chorei a última meia hora toda, mas calma! É uma comédia-romântica-dramática. Resumindo, a Terra entrará em colisão com um asteroide em menos de 20 dias e a humanidade entra em colapso, pessoas agindo como se não houvesse amanhã, incendiando prédios, matando pessoas, usando drogas, organizando motins etc. Dentro desse rolo Doudge (Steve Cavell) e Penny (Keira Knightley) se ajudam e correm para encontrar um amor antigo e a família. Vale muitíssimo a pena, só pelo fato de dar valor as coisas que acontecem porque nunca se sabe quando pode ser a nossa última semana e quem será a melhor coisa que você encontrou no mundo. Engraçado que no meio do filme em diante, você começa a pensar com quem gostaria de passar esse evento tão único... Nota IMDB: 6.8


 Espero que tenham se interessado e comentem aqui quais foram os melhores filmes de Outubro para vocês ;) Até a próxima!